Google+

26 de dezembro de 2011

REQUIEM AETERNUM


Do dicionário Aulete:

(.qui:em)
sm.
1. Litu. Na liturgia católica, parte do ofício dos mortos que principia com a palavra latina requiem aeternam (repouso eterno) 

Pois a placa acima entrou em repouso eterno em seguida a um hábito que se enraíza cada vez mais em terra brasilis – aliás, essa última palavra lembra alguma coisa que arrepia, não lembra? – que é arrasar com a imagem de bom velhinho do Papai Noel, aquele que traz presentes que deixam felizes crianças dos 8 aos 80 anos.

Pois no dia 22, na ante-véspera do Natal, entrou em vigor a Resolução 396/11 do Conselho Nacional de Trânsito anarquizando com a sistemática de controle de velocidade nas vias públicas implementada pelo órgão em novembro de 2006 – o Contran era decentemente dirigido por Alfredo Peres da Silva desde janeiro daquele ano, mas lamentavelmente ele deixou o cargo com a mudança de governo no começo de 2011. 

A Resolução 396 foi um presente que  Papai Noel jamais daria, pois de louco ele não tem nada.

A sistemática, adotada pela Resolução 214 de 13/11/2006 era a obrigação de haver placa de aviso, como a mostrada na abertura deste post, sempre que houvesse um detetor de velocidade de qualquer tipo.

A medida tinha um cunho de honestidade por parte do órgão máximo normativo de trânsito do Brasil. Mais do que honestidade, a obrigação de informar presença de detetores de velocidade nos alinhou com o Primeiro Mundo, o que sempre é motivo de júbilo ao se ter uma informação a que se tem direito, como entendia o Contran.

Como ficou agora, é coisa típica de "serviço secreto", como se motoristas fossem marginais que precisam ser caçados. 

Se já era indiscutível a ganância dos municípios em faturar com multas por excesso de velocidade, tal a proliferação de detetores de velocidade que tais placas assinalavam, é fácil imaginar o que acontecerá de agora em diante.

À ganância associou-se até um visual tenebroso, tantas são essas placas de "fiscalização eletrônica" por toda a cidade, no caso São Paulo, onde resido. Essas placas de aviso de fiscalização eletrônica anularam em boa parte a "Operação Cidade Limpa" do prefeito Gilberto Kassab, a de eliminação de painéis publicitários externos e grandes letreiros na fachada das lojas.

Uma das milhares de placas de fiscalização eletrônica de São Paulo (Google Earth)
 Mas, pelo menos, sabia-se onde havia um detetor, evitando que um deslize com a velocidade gerasse uma autuação, importante quando a admiistração de trânsito enfia goela abaixo do contibuinte limites de velocidade baixos, inferiores ao razoável, com a desculpa esfarrapada de reduzir acidentes.

Pois agora isso acabou. Ou se se tem carro com controlador automático ou limitador de velocidade, ou dirigir se tornará um inferno, precisando-se ficar de olho grudado no velocímetro o tempo todo. Ou usar qualquer aparelho contra-medida que informe os detetores fixos (os dos postes, chamados de "pardais"). A localização destes últimos, segundo a nova resolução, deverá ser dada a conhecer pela autoridade sobre a via, que poderá usar seu site para isso.

Suficiente? Claro que não, ou você acha que as autoridades da "Ilha da Fantasia" são trouxas? E os detetores chamados estáticos, os que não ficam nos postes?

Qualquer via

Até o dia 21/12, só poderia haver fiscalização de velocidade se a via tivesse placa de regulamentação de velocidade máxima, a conhecida R-19. Agora, essa fiscalização é possível em qualquer via usando o critério de velocidade do Art. 61 do Código de Trânsito Brasileiro no caso de não haver regulamentação de velocidade. Para poupar trabalho ao leitor, esses limites são:

Art. 61. A velocidade máxima permitida para a via será indicada por meio de sinalização, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito.


§ 1º. Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de:


I - nas vias urbanas:

a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido:

b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais;

c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;

d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais;


II - nas vias rurais:

a) nas rodovias:

1) cento e dez quilômetros por hora para automóveis e camionetas;

2) noventa quilômetros por hora, para ônibus e microônibus;

3) oitenta quilômetros por hora, para os demais veículos;

b) nas estradas, sessenta quilômetros por hora.

§ 2º. O órgão ou entidade de trânsito ou rodoviário com circunscrição sobre a via poderá regulamentar, por meio de sinalização, velocidades superiores ou inferiores àquelas estabelecidas no parágrafo anterior.

Prefeitos devem ter estourado champanha com este presente do "Papai Noel do Mal" para eles. Por exemplo, a malha de estradas – leia-se rodovias rurais não-pavimentadas, definição do CTB – é pelo menos 75% do total. É só colocar um detetor estático (sobre tripé oi apoiado numa "viatura") numa estrada de terra e escutar o plin-plin da "caixa registradora", pois o limite nelas, se não há sinalização, é de 60 km/h.

E nas vias urbanas, vá lá se saber se a via é de trânsito rápido, arterial, coletora ou local, se "esquecerem" de colocar sinalização de velocidade, como lembrou o leitor Rafael Mourad. ao nos escrever sobre a nova e diabólica resolução. Plin-plin...

Para reforçar o que eu disse sobre autoridades de "Ilha da Fantasia" não serem trouxas, a citada Resolução 214 determinava a exigência de estudo técnico prévio para a colocação de detetores de qualquer tipo. Na resolução de agora, o estudo é exigido apenas para os do tipo fixo. Ou seja, não é preciso estudo algum para colocar os do tipo estático. Podem ser colocados ao bel-prazer da autoridade de trânsito.

Como estamos cansados de ver detetores estáticos escondidos em vários trechos da SP 330 Via Anhangüera, e se havia a exigência de informar seu ponto exato para garantir sua visibilidade, é fácil imaginar o que acontecerá de agora em diante.

Aposto que as secretarias municipais de Finanças estão aproveitando esses dias de Festas para refazer seus cálculos. Afinal, arrecadação com multas de trânsito está nos orçamentos municipais, não está?

Parafraseando o Boris Casoy, isto é uma vergonha. Ainda está para nascer alguém com "aquilo roxo" para pôr fim a essa bandalheira.

BS




115 comentários:

  1. PQP...
    Está ficando impossível.

    Guilherme Costa

    ResponderExcluir
  2. Legal isso, diversas vezes entro em uma avenida no meio do percurso total dela e não tem uma placa de velocidade, porque eles colocam sempre no começo apenas.

    Mas pior é aqui na divisa entre Santa Bárbara d' Oeste e Americana, a Av. da Amizade, de um lado é Americana, do outro é Santa Bárbara, o lado Americanense o limite de velocidade é 60 KM/h, do lado Barbarense é 50 KM/h, quem é de fora toma multa com certeza.
    E nessa mesma avenida, tem placas de 50 KM/h(60 KM/h) e trechos com placas de 30 KM/h.

    Evitar roubos de carro o sistema público não quer né, as roubar nosso bolso gozam em fazê-lo.

    ResponderExcluir
  3. Bob,

    Gostaria de sabe se os limites de velocidade podem ser alterados, ficando assim diferentes dos do CTB? Pois aqui em Recife, numa avenida muito movimentada colocaram um radar de 50km/h. E mesmo que bem sinalizado, vai de contra o que estamos acostumados. Levando assim, um motorista descuidado a ultrapassar seus 10% de tolerância se passar a 60km/h.

    ResponderExcluir
  4. Eu falo pra todo mundo, que temos que usar o "sistema" a nosso favor. Espalhem uma boataria de que estas câmeras valem um bom dinheiro (e valem mesmo, há computadores nas caixas dos radares, equipamento caro) e os amigos do alheio, que são subproduto da sociedade, começarão a roubar e nos livrar deste mal.

    O dia que tiver condições, pagarei R$ 500 por cada radar derrubado. É o nosso dinheiro que está indo lá mesmo, nada mais justo que fazermos o que quisermos com esta porcaria toda.

    Uma desgraça. Os vagabundos nem pra isso servem, só servem pra roubar fios elétricos e outras coisas. Podiam nos fazer um serviço, acabando com os radares.

    ResponderExcluir
  5. Eduardo, não são 10% e sim 7% acima de 100km/h e abaixo, 7km/h.

    Bob, o esquema vai ser todo mundo andar de walk machine, que não chega a 20km/h, pq uma cuspidinha no acelerador vc já toma multa.

    ResponderExcluir
  6. Felisberto26/12/11 12:47

    Requiem pelas vítimas de trânsito, e não pela revogação dessa resolução criminosa do CONTRAN que, na prática, avisava sobre a localização do radar. Sua revogação, aliada a intensa fiscalização, é o passo inicial para acabarmos com a "indústria da morte", essa, sim, verdadeira tragédia e vergonha nacional. Outra medida que viria a calhar seria inverter o ônus da prova no que se refere à embriaguez ao volante. Presumir-se-ia embriagado quem se recusasse a soprar o "bafômetro". Infelizmente, em nome de princípios a meu ver equivocados, tal medida esbarra na objeção de 99,9% dos juristas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A inversão do ônus da prova seria uma fábrica de propinas nas mãos da nossa polícia, isso sim!!! E não evitaria nenhuma acidente.

      Excluir
  7. Meu avô sempre disse que o governo, com a infinidade de impostos, taxas, e contribuições (muitos deles altíssimos) que joga sobre as costas dos cidadãos, acaba sendo ele mesmo, governo, o maior incentivador de uma coisa chamada sonegação. Este é mais um caso em que somos sacaneados pelo governo, e dá vontade de retribuir na mesma moeda, tanto mais por se saber que não raro, as velocidades permitidas estão abaixo daquelas que seriam razoáveis para uma via, e que por isto mesmo, ninguém, absolutamente ninguém, respeita tais limites, ainda que queira. Quem vai rodar a 80Km, quando todos, inclusive veículos pesados, vão aos 100/110Km/h? Torna-se até perigoso, manter-se nos tais 80Km/h. Sabe a vontade que dá (novamente o caso do incentivo institucional ao crime)? Dá vontade de, de alguma forma, tornar a placa do carro ilegível para ser fotografada, e burlar a fiscalização. Não vou fazer isto, nem estou sugerindo ou incentivando que alguém faça, mas que dá vontade, isto dá! Muitas vezes quem anda sempre certinho é taxado de "otário". Eu ando. Mas não é que, por agir desta forma, por vezes acabo mesmo me sentindo um "otário"? Tem hora que enche o saco ser correto com quem (no caso, o governo) só te sacaneia.

    ResponderExcluir
  8. E dá-lhe industria da multa!
    O pior é escutar um bando de idiotas. recitantes do politicamente correto fazerem ode a esta medida descabida.

    ResponderExcluir
  9. Felisberto
    O que acabará com a indústria da morte é fiscalização por câmeras e presencial, não a verdadeira operação "mete-a-mão-no-bolso" dos cidadãos de bem que agora começa.

    ResponderExcluir
  10. Faço coro ao Bob: evitar-se-iam mortes bastando educação e fiscalização ativa, com a figura do policial militar fazendo cumprir-se a lei, à risca.

    ResponderExcluir
  11. Radar móvel sempre foi um crime contra o bolso do motorista. Agora o crime foi agravado, com requintes de crueldade.

    Lamentável...

    ResponderExcluir
  12. Realmente é o fim do mundo para os AutoEntusiastas...

    Qual é o tempo máximo que se pode andar de carro novo sem placa? Pra quem pode aí está a resolução, andem de carro novo enquanto puder andar sem placa e depois troca de carro...
    Nos EUA o Steve Jobs fazia isso...

    ResponderExcluir
  13. Convido todos os autoentusiastas a andar no limite da via, mas no limite inferior, que é 50% do limite superior. Se acham que o trânsito mais lento é mais seguro, então vamos ser mais 'seguros' e ver oque acontece.
    Já que eles gostam de atrapalhar, então nós podemos atrapalhar também!!!!

    ResponderExcluir
  14. Leandro Bueno26/12/11 13:43

    Conconrdo com o Bob, a fiscalização é que é falha. Lembro de quando a lei seca começou, se viam blitz quase todos os dias da semana, depois isso esfriou e já não se vê mais nada, nem nos fins de semana. Pelo menos aqui no ES. Acho que o Felisberto está correto na idéia de que se o motorista não quer soprar o bafômetro, deveria ser considerado culpado de estar embriagado. Com isso, eu acho, que as pessoas deixariam de beber e dirigir.

    Infelizmente acho que isso nunca vai acontecer pois os parentes de politicos e juristas sempre se apoiam na ideia de que não sõa obrigados a gerar provas contra si próprios. E ninguém legisla contra si mesmo, nem contra seus parentes.

    ResponderExcluir
  15. Vocês realmente acreditam que um Policial Rodoviário que ganha 9 paus por mês vai levantar o traseiro da cabine para patrulhar a rodovia?

    ResponderExcluir
  16. Não entendo de Direito mas isso não vai ao encontro ao direito à informação? Não é inconstitucional?
    Lendo essas notícias, vejo que a ditadura não acabou. Acabou sim, a proibição de falar mal do governo, de se posicionar contra. Mas os democratas queridinhos, aqueles que subiam nos palanques das diretas, inventaram um novo jeito de nos censurar: leis, resoluções, brechas, dispositivos, sutis pendurichalhos legais, multas...
    Agora, se vocês me virem andando a 40 km/h nas avenidas de SP não reclamem, não me xinguem. Vão xingar as autoridades, porque não vai ter outro jeito senão andar feito tartaruga.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  17. Desde quando velocidade, SOMENTE, é sinônimo de morte no trânsito? As autobahns estão aí pra exemplificar. O que importa é a velocidade RELATIVA. Andar a 60km/h numa rua de calçamento estreita em Ouro Preto é perigoso, mas andar a 120km/h numa reta de 5km em plena luz do dia, no Brasil Central é perfeitamente seguro.
    Mas a fúria arrecadatória dos políticos e a burrice da grande mídia (Jornal Nacional, Jornal da Band, Folha, Estadão) não tem limites.
    Essa lei não foi feita por autoentusiasta. Desse jeito vou vender meu carro e comprar um patinete.

    Ricardo2

    ResponderExcluir
  18. Felisberto, muito obrigado pelo seu inteligente comentário. Mas seu ponto de vista não encontra adeptos em nosso país.

    ResponderExcluir
  19. quero so ver a quantidade de radares que vão enfiar naquelas pistas de acesso que os caras botam velocidades exdrúxulas...

    tem várias com placa de TRINTA km/h, pra acessar uma via de 110!

    quero só ver... só ver.


    vontade está crescendo pra comprar um detector de radar, alguém sabe se já estão usando infravermelho ou é aquele de ondas de rádio ainda?

    ResponderExcluir
  20. DUVIDA

    Então eu posso recorrer de uma multa caso o radar não esteja visivel (exemplo estes da Anhanguera citados)?

    ResponderExcluir
  21. Mas afinal, o que esperar de um governo ladrão senão mais e mais roubo?

    ResponderExcluir
  22. É costume no Brasil aprovar medidas canalhas no apagar das luzes. Essa é mais uma delas.

    Claro que é uma tremenda sacanagem. Mas pensemos de forma prática: Os radares fixos permanecerão onde estão, onde boa parte dos motoristas já conhecem a localização ou quando o GPS atualizado com o "maparadar.com" apita.

    Quanto aos radares móveis, nos meus trajetos diários, sempre os presencio nos mesmos locais, SEMPRE escondidos atrás de uma passarela, árvore, etc.

    Por isso acredito que não haverá TANTA diferença do que já acontece atualmente.

    Em rodovias acontece o mesmo. Dificilmente alguém se deparará com um radar móvel numa daquelas retas intermináveis da Rodovia dos Bandeirantes, por ex. A máquina registradora estará após uma curva, debaixo de uma passarela ou próxima de um veículo estacionado no canteiro central. Aliás, sempre que vejo um veículo no canteiro central, reduzo a velocidade, pois quase sempre tem um radar instalado.

    Para não alongar demais: Se as autoridades se preocupassem com a qualidade da pavimentação, inclinação de curvas, sinalização intuitiva e que realmente informem o motorista veriam que muitas das mortes/acidentes seriam reduzidos. Não acredito que radares reduzam tanto assim o número de acidentes. A GRANDE maioria das multas dizem respeito a um excesso de velocidade pouco acima do limite, de sorte que só gera "caixa" para o estado.

    Marco

    ResponderExcluir
  23. Felisberto, seu comentário foi 'infeliz'. Radares não vão resolver esse problema.

    ResponderExcluir
  24. Anônimo das 14:09

    O comentário não encontra respaldo porque aqui procuramos ver as coisas sobre um outro prisma, fugindo da ignorância coletiva.

    ResponderExcluir
  25. Pode-se andar 15 dias com a Nota Fiscal, sem as placas.

    Em pequenos trechos, pode-se andar com sobreplaca comercial. Se for MUITO BEM feita, dá para andar longos trechos

    O que tem de carro rodando com fita isolante por aí assombra, fora da lei na cara dura. Contra lei também cara-dura.

    Aparelhos de GPS não são fiscalizados. Anti-radar modelo detector neles vai ser questão de tempo.

    O pior é que ao andar de olho grudado no velocímetro,além de procedimento extremamente cansativo, o motorista corre sério risco de errar.

    ResponderExcluir
  26. Carro novo sem placa quantos dias?
    Depois mais quantos dias contados da data de entrada da papelada?
    Pode viajar sem placa?

    Detetor de radar vai novamente explodir as vendas deste equipamento, mas os radares estao mais modernos inclusive funcionando a noite.

    Andar sem placa, adulterar placa, nao vou filosofar na coisa mas nao podemos combater um crime com outro crime, ainda somos homens deBem ... Ainda, mesmo que a vontade seja outra, o Bob esta certo, bandidos matando a todo momento por nada, politicos mais bandidos ainda.
    Precisamos de uma revolucao pra ontem, ou o povo se manifesta ou...
    E paraos bandidos a suspensao das garantias...
    Ja.

    ResponderExcluir
  27. ESTAMOS NUMA DEMOCRACIA ?
    Já vivi uma boa quantidade de décadas, e sempre há alguma coisa para me surpreender nesse Brasil. Parece estado de barbárie jurídica, regime fascista.
    Pergunto : - Numa via de trânsito rápido, de 80 km/h, quando há pardal fixo, a velocidade limíte neste normalmente oscila entre 50 e 60 km/h. Sem a placa, como ficará ? Programarão estes equipamentos para a velocidade da via ? Como ficaremos sabendo ? Teremos de desenvolver 6o. sentido ? Se todos me permitem, é uma patifaria !

    ResponderExcluir
  28. Anônimo das 13:45: quem é que disse que um policial rodoviário ganha 9 paus por mês? E mesmo que ganhasse, na minha modesta opinião as via ssão fiscalizadas sim, de uma forma ou de outra, porque senão não haveria tanto motorista multado. É como cadeia, as pessoas dizem que polícia não prende ninguém, se assim fosse os presídios não estariam superlotados.
    Preciso dizer que não concordo. Não concordo com a revolta discutida pelo post.
    Se o limite de velocidade existe, é para ser cumprido. Não precisa de placas de alerta. Tem que haver um consenso, sem dúvida, do que é via local, do que é via coletora, do que é via isso, via aquilo. Sem dúvida.
    Enquanto isso, a "indústria da morte" segue faturando.

    ResponderExcluir
  29. Kelvin Felipe26/12/11 15:31

    Vou vender o meu carro, melhor comprar um patinete.

    ResponderExcluir
  30. CSS disse :
    "Não concordo com a revolta discutida pelo post."

    A revolta não é específica deste post. A revolta é da sociedade. Em vários outros sites todos os comentários a essa resolução se assemelham em revolta. Pois estamos sendo enganados, manipulados, furtados.

    ResponderExcluir
  31. é por isso que o Brasil não vai para a frente! Está muito mais perigoso dirigir! Guiando a 60 km/h nas avenidas, não da para desviar das motos que vem a 90 km/h!! Tem que gravar o bibibibibibibi das motos e colocar esses politicos/hipócritas/"tiricas da vida" para escutar

    ResponderExcluir
  32. Soda..

    Eu achei curioso que em todos os jornais que vi isso eles mostraram só o ponto positivo da medida, coisa que eu concordo: parar com essa palhaçada de velocidade correta somente onde tem radar.

    Se a via tem um limite máximo de velocidade nós temos que seguir, é a lei, não tem que ficar de mi mi mi porque quer andar a 160 por hora só porque o carro chega a isso.

    Lei é lei. Pode ser uma jossa de lei, mas é lei, o povo que fosse mais capaz e elegesse legisladores decentes.

    Agora, colocar radar sem ter placa sinalizando a velocidade correta e sem um estudo técnico é uma tremenda idiotice (pra não ofender os filhos das profissionais do sexo) típicamente brasileira para explorar os cidadãos.

    ResponderExcluir
  33. Linck de uma tese de mestrado que comprova o risco de acidentalidade nas áreas próximas a radares fixos, comprovando que nada auxiliam na redução dos acidentes de trânsito, mas, ao contrário, aumentam :

    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18144/tde-15022006-204946/en.php

    ResponderExcluir
  34. Bob,

    Alguma medida jurídica terá de ser tomada contra isso, pois dirigir vai virar um inferno.

    A muitos anos entrei com pedido no Ministério Público sobre a inconstitucionalidade do rodízio paulistano, tendo em vista que a motivação ambiental do rodízio já havia acabado. E até agora nada.

    Não sei aonde mais pedir socorro a tanto descaso. Peço que o senhor continue a bater forte nessa nova Resolução, mais forte do que assim o faz acertadamente no caso das películas.

    A sociedade precisa mudar isso com urgência!

    André Andrews

    ResponderExcluir
  35. Com as velocidades irrisórias que colocam em nossas vias não é difícil adivinhar o que vai acontecer: pode ser que as vias que nunca tiveram engarrafamentos vão passar a ter, porque os motoristas vão andar abaixo da velocidade imposta pelos nossos "engenheiros de trânsito" com medo de algum pardal ou outro tipo de fiscalização eletrônica.
    Tem outro problema: O que acontece quando tem vias com uma ou mais velocidades? Vão sinalizar isso pelo menos? Acho que não.

    Rodolfo Milet
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
  36. Nunca fui contrário à não-obrigatoriedade de se sinalizar o local de radar. Ao meu ver, o problema é a falta de clareza na sinalização da velocidade máxima permitida na via, além da falta de bom senso, como limites muito baixos em alças de acesso, curvas, etc..

    ResponderExcluir
  37. Bob,

    primeiro lhe agradecer pela excelente matéria e tbm pela sua opinião a respeito da sinalização sobre o limite de velocidade onde existe radares...

    segundo dizer que tudo vai virando uma "indústria" de multas para se fazer "caixa" mas isso não resolve o problema... que simplesmente passa por EDUCAÇÃO....

    um povo educado exibirá com certeza sua civilidade e assim diminuir consideravelmente o caos do trânsito no dia-a-dia...

    abs...

    André Candreva
    Blog Por Dentro dos Boxes

    http://pordentrodosboxes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  38. Os motoristas que não são marginais não precisam se preocupar, já que respeitam a velocidade máxima indicada nas vias públicas. Problema será pra turma da bandalha, que gosta de desrespeitar a lei e recorrer às teorias lunáticas de blogueiros que defendem infratores como se fossem pobres coitados pra justificarem seus excessos. Já vejo essa cambada de pilantras rasgando as calçolas quando começarem a chegar as merecidas multas... Parabéns às autoridades de trânsito pela medida acertada. Marginal, e/ou entusiasta, que anda acima da velocidade permitida tem mesmo que tomar na cabeça.

    ResponderExcluir
  39. O governo sabe que a medida mais acertada para evitar tantos acidentes seria uma auto escola eficiente e exames que realmente avaliassem o conhecimento e destreza do motorista, não faz porque não quer mesmo.Tem muita gente comprando CNH facinho, facinho!!!

    ResponderExcluir
  40. Esse povo que fica postando que vai acabar a industria da morte, deve tudo andar de bau.
    Aqui em Brasília, somente para citar um exemplo do quanto estes limites são uma tremenda falta de respeito, a EPNB (Estrada Parque Nucleo Bandeirante, também conhecida como rodovia DF-075) tem 3 limites de velocidade a saber: 60km/h - 80km/h - 40km/h e depois novamente 80km/h. Isso sem contar as diversas vias que a velocidade é de 60km/h e no pardal reduzem para 40km/h

    ResponderExcluir
  41. André Andrews
    Não sabia que você havia acionado o Ministério Público contra o rodízio, meus parabéns. O não-julgamento da ação após tantos anos indica que não há defesa para o seus argumentos e também – pior – a falência da justiça brasileira. Tenha certeza de que vou continuar batendo nessa questão da Resolução 396.

    ResponderExcluir
  42. Anônimo 26/12 18:51
    Deixe de falar besteira. Todos os motoristas sofrerão as conseqüência dessa medida abusive do Contran.

    ResponderExcluir
  43. Anônimo 26/12 18:51
    Quero ver vc andando normalmente dentro do limite da via, 60km/h por exemplo, e de repente, sem avisar, um radar de 40km/h. Aí, segundo vc próprio, vc estará se tornando um marginal tbm. Aqui em Recife, mesmo sinalizados, eles enfiam um radar ou lombada eletrônica com velocidade inferior a da via. Imagina sem placas...

    ResponderExcluir
  44. Tem que começar a fazer isto aqui:

    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/porticos-da-via-do-infante-incendiados-esta-madrugada?nPagina=3

    ResponderExcluir
  45. Nunca ví nenhuma estatística sobre quais os fatores determinantes em acidentes de trânsito. Por exemplo:
    a) excesso de velocidade. Acho que é o caso típico dos acidentes relacionados aos "rachas", onde motorista está andando mais rápido que algum limite (da via, do carro, seu próprio). Se nota em carro enfiado em poste, árvore, capotado no meio da quadra ou na esquina (ao tentar fazer uma curva);
    b) sair antes do sinal abrir. Caso típico de ônibus e motocicletas!
    c) não parar ao fechar o sinal. Um dos mais comuns e fatais.
    d) motorista alcoolizado;
    e) defeito grave na via (buraco, desnível, elevação) ou obstáculo;
    f) problemas de visibilidade independente de velocidade (tem motociclista que ainda acha que motorista o verá sempre, em qualquer situação!)
    g) má sinalização em geral, má iluminação, acessos mal construídos.
    h) veículos defeituosos em geral.
    i) inabilidade do motorista, falta de educação,etc.
    j) outros fatores;
    k) mistura de itens acima.

    Assim, a questão da velocidade e seu controle é simplista, mas o fato é que se a velocidade for respeitada (nunca mais de 60km/h na cidade) quase todo motorista comum é capaz de reagir adequadamente (ou se supõe isso, pelo menos).

    Por isso acho que nós motoristas, apesar de não ser fácil, temos de nos conformar e andar neste limite, e ponto. Em vias menores, menor velocidade ainda... e temos de treinar nossa paciência e aumentarmos a civilidade no trânsito.

    Especialmente caminhões, caminhonetas, caminhonetes, suvs e outros veículos grandes e pesados que muitas vezes são dirigidos por pessoas que não estão efetivamente capacitadas devem se capacitar e baixar a bola.

    Valfredo

    ResponderExcluir
  46. Resumindo o que tentei colocar no outro post:
    -num país em que a barbárie impera e o Estado nada tem de eficaz, o que se poderia esperar?
    Talvez, para o próximo milênio!
    Valfredo

    ResponderExcluir
  47. Nós brasileiros somos condicionados a obedecer certas leis, mas vejo que somos quase todos "marginais" no tocante a outras leis. Por quê? Porque essas outras leis limitam em muito nossas liberdades e nossa qualidade de vida.

    Com essa nova fiscalização, pode acontecer duas coisas:

    1) O trânsito simplesmente travar por causa que todos vão andar a 40 km/h em vias principais.

    Ou

    2) Todos andarem "voando baixo", a velocidades irresponsáveis. Ninguém mais terá carteira de habilitação válida e nenhum carro estará com documentação em ordem.

    ResponderExcluir
  48. O bom motorista sabe a velocidade adequada a se usar em cada tipo de via, sem colocar nada nem ninguém em risco. Desse modo, placas de velocidade funcionam mais como sugestões.

    O problema é que há escassez acentuada de bons motoristas. E isso leva a medidas estúpidas, como lombadas e radares escondidos.

    ResponderExcluir
  49. Nossa!
    Pelo que escreveram aí em cima então a Alemanha e o Japão só tem bandidos...

    Mais um babaca achando que a gente é exemplo no trânsito. Merece ser tratado como cachorro nesse país porque gosta.

    Eu particularmente penso um pouco, só um pouco e já me considero um reles humano - capaz de ser educado e não tolhido.

    Brasil. Um país de tontos.

    ResponderExcluir
  50. Não sou nem contra os limites de velocidade, todo mundo sabe que existem muitos "motoristas" abusados ao extremo, que nao adianta educar de outra forma que não seja impondo algo. Se é que isso pode ser chamado de edução.

    Mas enfim, eu só quero saber de uma coisa..será que nas SP 310, SP330 e SP 340 (citei essas pq é onde eu ando mais) onde os limites variam em 100 e 110, vai ter radar móvel registrando como velocidade máxima 80 Km/h por exemplo e sem aviso?

    Eu costumo respeitar tais limites, mas sem os respectivos avisos, vai ser como caminhar em um campo minado.

    Quando vou p/ Nova Friburgo, aqui de Limeira, primeiro passo em minas p/ pegar minha noiva...vou pelas BR 491 e 267 até Juiz de Fora, nao tem pedágio, nao tem fiscalização...e tbm nao tem aciendentes...pelo menos nas inumeras vezes q passei lá, nunca vi nenhum

    ResponderExcluir
  51. CSS

    Se há tanto motorista multado, faltou você dizer em que infrações. Pois, pelo que eu saiba, trafegar sem usar faróis baixos à noite é infração média, mas o que vejo de motorista trafegando apenas com as luzes de posição, ou totalmente apagados mesmo, mostra que eles nem aprenderam o correto em sua formação, ou que nenhum policial os abordou e orientou como dirigir corretamente com SEGURANÇA à noite e que nunca foram multados por esse motivo, pois quando multados tendemos a não repetir o erro, ainda mais um erro tão evitável e que não atrapalha em nada a vida do motorista.

    Os incautos que aqui contestam o Bob, hão de convir que é muito mais perigoso trafegar quase invisível à noite que andar a 60 km/h numa avenida onde as "otoridades" acham que o limite deve ser 50 km/h (com fins arrecadatórios, ÓBVIO). Passar num semáforo fechado a 20 km/h é infinitamente mais perigoso que dirigir em uma rodovia bem pavimentada e livre a 140 ou 150 km/h (vide as Autobahnen e a Alemanha com um dos mais baixos índices de mortes no trânsito).

    ResponderExcluir
  52. Mendonça

    Sobre o maior risco de acidente próximo a radares, hoje eu presenciei uma cena de risco potencial. Eu trafegava pela esquerda na Anhanguera, no limite da via, ultrapassando os carros mais lentos, quando logo após passar por um radar o SUV à frente freou, possivelmente por um efeito cascata dos carros à sua frente.

    Não sofri acidente por ter sido uma freada leve e eu sempre manter distância segura, mas o que mais vemos é pessoa abaixo do limite da via frear quando percebem o radar, causando uma situação muito mais perigosa que um "comboio" trafegando a 130 km/h mantendo distância segura.

    Disseram que está cheio de motorista maluco por aí. O que eu mais vejo são motoristas lentos, seja por falta de habilidade, seja por medo da indústria da multa ou ambos. É impressionante a quantidade de motoristas que passam a 40, 35 km/h nas lombadas eletrônicas de 60 km/h permitidos, muitas vezes freando mesmo estando abaixo do limite.

    ResponderExcluir
  53. 'Entusiastas' já começaram a rasgar as calçolas... Quem respeita a lei, tem vergonha na cara, se diverte com o 'apocalipse' pregado pelos defensores dos infratores. Felizmente, o mundo não vai acabar porque marginais, e/ou entusiastas, serão pegos com as 'calças na mão' acima dos limites legais de velocidade... Absurdo mesmo é sinalizar o radar para que os vagabundos que não respeitam limites possam escapar da merecida penalidade. Só a turma da bandalha não pensa assim. Parabéns às autoridades de trânsito pela medida acertada! Quem é de bem e respeita a Lei, aprova! O resto é blá blá blá...

    ResponderExcluir
  54. Em Aracaju, os radares foram todos desligados (por causa daquele escândalo de corrupção na instalação deles), e os acidentes DIMINUIRAM. Sim, isso mesmo, MENOS ACIDENTES sem os radares. Será que o povo de Aracaju simplesmente aprendeu a dirigir da noite pro dia?

    ResponderExcluir
  55. Paulo Roberto, a preposição sobre significa em cima. Se você vê as coisas de uma forma diferente, deve dizer que as vê sob um outro prisma.

    ResponderExcluir
  56. Impressionante como mesmo hoje, depois do natal, período de férias e com muita gente viajando, ainda tem babacas solitários enchendo o saco dos outros na internet.

    Vão ver pornografia, seus pulhas !

    Se ao menos os críticos soubessem interpretar textos (ler e pensar no que leram) veriam que em momento algum alguém aqui criticou a presença dos radares ou o cumprimento da lei e sim o mal uso destes recursos.

    Mas isso é brasil mesmo.
    Idiotas no governo e cretinos os apoiando em troca de migalhas.

    ResponderExcluir
  57. Poxa Bob, os motoristas vão sofrer as conseqüência [sic]? Aí não! Vamos concordar, dizer que os motoristas sofrerão as consequências.

    ResponderExcluir
  58. Anônimo 26/12/11 22:15

    Você já percebeu que o Bob Sharp defende fiscalização HUMANA? Com policiais "circulando" nas rodovias os motoristas que cometem INÚMERAS infrações, mesmo que dentro do limite de velocidade, andariam na linha, ou pelo menos aprenderiam as regras de trânsito deveriam conhecer.

    Você deve ser um desses "excelentes" motoristas que circulam no limite da via (pelo velocímetro) à esquerda e não dá passagem, achando que está fazendo um grande trabalho em prol da segurança do trânsito, mesmo que isso seja mais perigoso de fato, aléminfração pelo CTB. Também nunca vi alguém ser multado por não dar passagem, radares não tem essa capacidade.

    ResponderExcluir
  59. Corrigindo:
    "...as regras de trânsito QUE deveriam conhecer."

    ResponderExcluir
  60. Descer a 23 de maio freiando a 70 km/h, no trecho em frente ao prédio da IBM. Isso é seguro?

    Engraçado que agora tem trânsito toda hora na 23. Grande medida...

    ResponderExcluir
  61. Rafael Mourad27/12/11 00:02

    Obrigado pela matéria Bob. Sua experiência ajuda e muito eu avaliar minhas opiniões.

    E pode citar meu nome na reportagem, pois ao contrário do governo, eu não tenho nada a esconder!

    ResponderExcluir
  62. Se o povo brasileiro fosse capaz de se unir e se mobilizar pelos seus direitos, teria um jeito bem fácil de protestar contra essa medida:

    Até mudarem essa resolução, ninguém dirige acima de 40 km/h, mesmo em rodovias.

    ResponderExcluir
  63. Vitor Alves27/12/11 04:13

    Mais um ótimo artigo Bob. É incrível como tem pessoas que engolem qualquer porcaria que aparece, sem ao menos contestar... se depender dessas pessoas o limite de velocidade vai ser 40km/h em todas as vias do país, e elas ainda vão se orgulhar disso.

    ResponderExcluir
  64. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, no uso das atribuições que lhe são conferidas Código de Trânsito Brasileiro - CTB, e conforme à Resolução 396; e

    Considerando que apartir deste momento fica impossível saber onde há fiscalização de velocidade por controlador eletrônico de velocidade;

    Considerando que todos irão se mantar restritos à velocidade indicada (placa R-19) ou, na sua ausência, limites do art. 61 do CTB, pois caso contrário irão perder a Habilitação ao percorrer duas quadras;

    Considerando que nosso limite máximo de velocidade é 120 km/h reais, e que para esta velocidade bastam 30 a 40 cv;

    Considerando que tornar a vida do motorista profissional ou de lazer difícil e desprazerosa é nossa finalidade;

    Resolve:

    Art.1° Só haverá um modelo de veículo a ser fabricado apartir da data da publicação desta Resolução. Este automóvel será um Volkswagen, modelo Fusca, com motor 1200 cc.

    Parágrafo único. A Volkswagen será intimada a produzir o modelo. Outros fabricantes devem aguardar regulamentação desta Resolução dispondo sobre demais modelos de automóveis autorizados à produção.

    Art. 2. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

    Júlio Ferraz Arcoverde
    Presidente

    ResponderExcluir
  65. O maior problema disso tudo é que na grande maioria das vezes, no intuito de aumentar a arrecadação, a localização em que o radar se encontra possui velocidade máxima inferior ao da via, e, com essa nova resolução, não teremos como saber qual velocidade é essa.

    "Menos mal" se normalizassem a máxima da via independente da presença de radar ou não. Assim só teríamos que nos preocupar com a máxima da via e não mais com a aproximação de radar a e máxima permitida na região do radar.

    ResponderExcluir
  66. Rafael Mourad
    Como não tive tempo de lhe perguntar se autorizava publicar seu nome, usei o recurso das iniciais. Já consta seu nome agora. E obrigado!

    ResponderExcluir
  67. Resolução 399 do Contran
    Perfeito!

    ResponderExcluir
  68. Por falar nisso, qual é a velocidade máxima?

    Acho que vão colocar a máxima a 20 km/h, para facilitar a abordagem dos assaltantes.

    ResponderExcluir
  69. Alexandre

    Uma duvida Bob, ao entrar em uma via expressa por uma entrada lateral, enquanto não houver placa sinalizando velocidade poderei andar a 110 km/h, ou terei que continuar com a velocidade da ultima placa que vi, contando com isso qual a "validade" da placa, até que distancia ela é considerada, ou é até o surgimento de uma outra? agradeço.

    ResponderExcluir
  70. http://www.youtube.com/watch?v=MEL48khJHRQ

    A Ratolândia

    ResponderExcluir
  71. Tenho minha opinião sobre o assunto.

    http://www.youtube.com/watch?v=JCxpho6Orb8

    ResponderExcluir
  72. Do caos vem a ordem. Talvez fosse o momento de TODOS os motoristas cumprirem a lei. Vamos andar em todas as ruas e avenidas a 40Km/h e acabar de vez com essa palhaçada. Assim iríamos parar os portos, aeroportos, centros de distribuição, o país, enfim. E já imaginaram o terror para os políticos de ter que permanecer em Brazólia nas quartas-feiras?
    Lau

    ResponderExcluir
  73. Bob, você que defende a fiscalização ostensiva das nossas rodovias... a prova que ISSO salva vidas, não radares em cima de radares:
    http://combateaocrime.com/apenas-um-auto-de-infracao/

    ResponderExcluir
  74. luizborgmann27/12/11 11:00

    Homo hominis lupus; o homem é o lobo do homem.
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  75. Concordo com o Adriano e com o Lau. Façamos uma operação padrão, o caos deflagrado pelo estrito cumprimento da lei, expondo o ridículo de nossas leis e legisladores.

    ResponderExcluir
  76. ao Adriano, ao Lau e ao Driver 8

    Aqui no Sul e em São Paulo muita gente já se uniu a este "movimento"

    ResponderExcluir
  77. Sugiro algo mais fácil: andarmos em velocidade da via só quando vermos que estamos a frente de carros oficiais.

    ResponderExcluir
  78. Alexandre,
    Alexandre,
    No caso de sair de uma via e pegar outra, diz a Resolução no Art. 2º § 4º que tendo essa outra a sinalização de limite de velocidade, deverá haver nela uma placa R-19 logo que se entra, para o motorista saber o limite da via que pegou.

    ResponderExcluir
  79. Bob, é simples acabar com essa indústria das multas, basta fazer com que as punições sejam apenas em pontos nas carteiras, sem que haja dinheiro envolvido.

    Como se acaba com as moscas que sobrevoam um doce?

    Espantando as moscas? Não. Elas voltarão logo em seguida.

    Matando as moscas? Também não. Novas moscas surgirão em pouco tempo.

    O correto é retirar o doce do lugar. Isso sim acaba definitivamente com o problema das moscas.

    Punições com pontos nas carteiras, como é feito atualmente, já cumprem o papel "educativo" que o governo tanto gosta de usar como argumento.

    Assim, sem dinheiro para ser roubado, a legislação de trânsito passaria em pouco tempo a ser uma coisa justa e honesta, voltada de fato para o bem da população, e não uma mina de ouro para a quadrilha do governo, como é hoje em dia.

    Bob, o que acha disso?

    ResponderExcluir
  80. Belizário - SC27/12/11 13:52

    sou do sul.
    precisar viajar do PR a SC ontem pela BR-101.
    que nojo. que repugnância que me deu do comportamento de todos no engarrafamento.
    Sem preconceito e/ou regionalismo, mas a turma do SP e do RJ são muito folgados e mal-educados. Acham que são os donos da pista.
    Vê alguém atirando lixo pela janela?
    Vê um imbecil costurando no anda-e-para e fechando todo mundo?
    Vê um animal passando a milhão pelo acostamento?
    em 99% dos casos a placa é de um desses dois estados...

    ResponderExcluir
  81. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  82. Desculpe Driver 8, mas mantenho minha posição. E na verdade digo mais, de forma generalista, os motoristas multados são sempre os mesmos e as infrações pelas quais eles são multados são sempre recorrentes. O "multado eventual", se é que me faço entender, é realmente raro.
    Não estou afirmado isso sem justificativa ou análise prévia.
    Trabalhei muitos anos em revenda de veículos usados. Na hora de consultar a situação da documentação dos veículos, era extremamente comum um dado veículo, possuir multas repetidas mudando somente o dia e horário. Por exemplo: 10 infrações por excesso de velocidade, no mesmo local, cometidas pelo mesmo motorista.
    6 ou 7 multas por estacionamento proibido cometidas na mesma vaga.
    Dá a impressão que o pessoal não aprende. Na minha opinião falta é formação, não punição. A educação vem de casa.
    Você mesmo cita um excelente exemplo, o das lanternas de posição. Para o CTB não existe lanterna de posição, ou "meia luz" como chamam, existem "faróis baixos acesos do entardecer ao amanhecer". Porém me parece que a cultura da "meia luz" enraizou-se de tal maneira, que passou a ser um costume válido e incorporado às ações cotidianas. Nem mesmo as autoridades fiscalizadoras de trânsito sabem interpretar essa convenção.

    ResponderExcluir
  83. Quanta palhaçada...
    Multa no quengo dos infratores!
    Como é fácil reconhecer a 'laia' dessa turma. Estão aqui os que dirijem embriagados, os que desrespeitam limites de velocidade e os que 'conhecem' de cor e salteado a localização dos radares... Todos conspirando contra o Estado Democrático, como se ao redor de seus umbigos gravitasse toda a matéria do universo... Multa no quengo dos marginais, e/ou entusiastas! Cidadão de bem, que respeita a Lei, aplaude a abolição dos 'avisos' para marginais do trânsito e morre de rir dos esquemas para dar um 'golpe' no atual 'regime'. Coisa de 'Che' de internet... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  84. ao Anônimo 17:13,

    O problema não é correr demais e tomar multa. Isso é justo.

    O problema é tomar multa sem saber porque. Ou seja, tomar multa em uma via que tem tudo para ser uma via de trânsito rápido, mas sabe-se lá por que cargas d'água a Prefeitura determinou que o limite de velocidade nela é de 20 km/h. Aí, multas e mais multas sobre um cidadão que não tem como se prevenir e se defender. Isso não é justo.

    ResponderExcluir
  85. Oskrmarinho27/12/11 19:22

    Anônimo tão, mas tão imbecil das 17,13 h., que se esconde no anonimato para perpetrar suas estultices! Será você daquelas pessoas privadas de racionicio próprio, que bate palmas e apoia tudo que vem de um "superior", mesmo que contrarie o bom-senso e a lógica? Presumo que sim, então fique muito feliz da vida se um dia tiver que responder a uma dessas autoridades, por alguma infração que haja cometido; meta a mão no bolso e pague dando risada, pois afinal, as autoridades sempre estão certas em suas concepções e o Estado existe pelo poder e não pelo povo que o legitima; é correto e adequado contestar medidas descabidas e mal explicadas, pois essa é uma forma de chegarmos a resultados justos. Experimente balançar sempre a cabeça aprovando tudo que o Governo faz e veja depois o resultado da sua conduta de "boi de presépio".

    ResponderExcluir
  86. O anônimo das 17:13 deve ser o típico politicamente correto que aplaude esse tipo de medida absurda do governo e chama de marginal aqueles que a questionam. Ninguém aqui falou que se deve ultrapassar os limites ou está fazendo apologias, simplesmente estamos falando que a lei tem uma série de problemas.

    Quem vai ser multado não vão ser os marginais, esses vão fazer uma série de truques e vão escapar dos radares com poucas exceções. Quem vai ser multado é quem vinha a 62 numa via de 60 ou quem vinha a 50 numa via de 50 que onde fica localizado o radar (agora sem aviso) passa para 40, muitas vezes sem motivo nenhum além arrecadar e tornar o trânsito ridiculamente lento.

    Só que esses tipos como o anônimo das 17:13, quando o governo querido faz algo que é realmente marginal, negam tudo e ainda falam com orgulho que é assim mesmo que tem que ser. E quando ele toma multa, dá logo um jeito de não pagar (afinal o politicamente "correto" é só para os outros, eles nunca estão errados) ou então por a culpa nos "marginais".

    ResponderExcluir
  87. Com R$ 5.000,00 lá no detran-sp "blinde" a sua placa.

    Por isso que "chegados" nunca estouram pontos na carteira. Tem muita gente aí de superesportivo pagando pra "blindar" a placa/carteira.

    Boa idéia não acham? Pois sim, ela existe, fato.

    ResponderExcluir
  88. CSS e Anônimo 17:13

    Eu sou um desses "multados eventuais" ou marginais. Tomei 3 multas por excesso de velocidade na minha vida, sempre pouco acima do (baixo) limite da via. Em uma delas, num trecho urbano de rodovia, passei a 82 km/h onde o limite é 80 km/h. Qual a explicação lógica, coerente e racional para uma rodovia com 2 faixas em cada direção ter o mesmo limite esipulado pelo CTB para vias expressas ou de trânsito rápido?

    Pior é que sempre há mortes no trecho urbano dessa rodovia, mesmo depois de instalados inúmeros radares. Mortes principalmente de motociclistas, que ocorrem mesmo a baixíssimas velocidades quando encontram um caminhão em seu caminho.

    ResponderExcluir
  89. Quem reclama é porque anda acima do limite. Nunca li tanta besteira quanto neste post. Animal tem mais é que ser caçado. Quem anda certo não toma multa nenhuma.

    ResponderExcluir
  90. A solução pra isso tem nome: REVOLUÇÃO, e que seja ao estilo da FRANCESA !

    ResponderExcluir
  91. O anônimo das 01:04 nunca leu besteira maior que nesse post e acha que sabe o que é andar certo. Se ele nunca leu besteira maior que essa então ele nunca saiu de casa e não deveria estar comentando sobre trânsito como se a palavra dele fosse a final e ninguém que discorde tenha o mínimo de razão.

    Os politicamente corretos possuem esse costume de não saber p*rra nenhuma do que falam e ainda assim acharem que estão certos (e que só eles podem estar certos). E estão sempre entre os que usam serviços como a "blindagem" de placa e de carteira, afinal a lei é só para os "marginais" que são os que não concordam com eles. Para eles não tem que valer né gente.

    ResponderExcluir
  92. essa turma que acha que a lei está certa não vai muito longe na argumentação porque logo começam a grasnar feito patos

    ResponderExcluir
  93. ao Anônimo 21:50...

    O pior de tudo é que profissionais do volante e as pessoas que rodam mais de 1.000 km por semana vão fazer isso, "blindar" a placa e passar então a descumprir a legislação de trânsito totalmente. Vai ser um morticínio...

    ResponderExcluir
  94. E os buracos? Ninguém tampa?

    Eu aceitaria perfeitamente essa lei empurrada goela abaixo. Mas então me dê condições de dirigir decentemente, e não em vias que eu tenho que desviar de buracos.

    Da minha casa até o meu trabalho são 12 km de distância. São 7 buracos na ida e 5 na volta.

    Pra isso ai não tem lei não!!

    ResponderExcluir
  95. Galera,

    so vai ter efeito se rolar uma greve geral dos motoristas, de parar todas as cidades e estradas, simplesmente todo mundo estacionar o carro na rua e largar lá, e deixar o caos acontecer... Pensem nisso... pega meia duzia de carreta em cada rodovia e fecha a entrada e saida de SP/RJ/BH, etc.

    outra ideia revolucionaria seria uma greve financeira no bolso do Detran, se TODO MUNDO parar de pagar IPVA, multa, licenciamento etc, por 1 ano ou mais. Se parar de entrar $$ nessa m* de Detran eles vao se tocar que tem coisa errada.

    mas o brasileiro alem de otario é tambem bundao, porque aposto que todo mundo aqui que esta lendo esse comentario esta pensando "se eu fizer isso eu tenho muito a perder, só eu vou me f*der e depois tenho que pagar tudo atrasado com multa, entao nao vou fazer greve coisa nenhuma". e nada vai mudar.

    Se fosse na Franca, tinha quebra-quebra no predio do Detran frances, na Argentina idem. Aqui, só nego reclamando anonimo na internet... nao vai resolver...

    Tem que partir pra solucao de choque.

    ResponderExcluir
  96. Solução pra isso tudo é uma só.
    Multa no quengo dos marginais e/ou 'entusiastas' que consideram limites de velocidade 'sugestões' para os 'fracos' de direção!!!
    Essa turma da bandalha só entende quando a jiripoca pia...

    ResponderExcluir
  97. Melhor sugestão foi a do anônimo de 27/12/11 13:41:

    "Bob, é simples acabar com essa indústria das multas, basta fazer com que as punições sejam apenas em pontos nas carteiras, sem que haja dinheiro envolvido.

    Como se acaba com as moscas que sobrevoam um doce?

    Espantando as moscas? Não. Elas voltarão logo em seguida.

    Matando as moscas? Também não. Novas moscas surgirão em pouco tempo.

    O correto é retirar o doce do lugar. Isso sim acaba definitivamente com o problema das moscas.

    Punições com pontos nas carteiras, como é feito atualmente, já cumprem o papel "educativo" que o governo tanto gosta de usar como argumento.

    Assim, sem dinheiro para ser roubado, a legislação de trânsito passaria em pouco tempo a ser uma coisa justa e honesta, voltada de fato para o bem da população, e não uma mina de ouro para a quadrilha do governo, como é hoje em dia.

    Bob, o que acha disso?"

    É uma ótima idéia pra pegar esses parasitas do governo.

    ResponderExcluir
  98. Angel Pinheiro28/12/11 15:05

    É de chorar, mesmo. Estamos perdendo, ou já perdemos há muito, o prazer em dirigir. Nem na F1 existe mais grande entusiasmo em assistir ou pilotar, tamanha é a exigência da burocracia pela "excelência" mecânica e humana.

    Regras e leis sao indiscutivelmente necessárias, mas em excesso provocam grandes riscos, muito além das estradas: na vida como um todo: pessoas que trafegam devagar demais por causa do medo. E outras que vao rápido demais por causa da raiva. Extremos que poderiam ser minimizados.

    Eu fui multado na Anhanguera por ter passado 3km do limite. Numa longa descida, meu piloto automático embalou, nao segurou a rotaçao e lá estava o radar móvel, numa maletinha, ESCONDIDO na grade do guardrail. E na Anhanguera há radares fixos, câmeras e OITO pedágios. Mas.. ainda é pouco.

    Quem estava lá vigiando a maletinha? um carrinho branquinho, terceirizado. A PRF ir pra rua em estrada "privada"? poder público pouco se importa, o poder é privado.

    Quando eu precisei do poder público ou privado, no caso... nao fui atendido a tempo. Na mesma estrada me senti ameaçado por outro carro que nao conseguia se manter na faixa da direita. Se eu passava, me alcançava, se eu freava, ele diminuía. Parecia dirigir embriagado de sono. Liguei no 0800 da concessionária da via, falei no pedágio para averiguarem... nada.

    Sabe, eu já dirigi na Califórnia. Voltei tao orgulhoso e educado pela experiência que achei que seria melhor no tránsito do Brasil. Tentei! mas nao consegui manter nem por 3 meses o que eu aprendi por lá, aqui.

    ResponderExcluir
  99. Eu me divirto com os comentários daqui. É um pior que o outro.

    ResponderExcluir
  100. Pedro de Albuquerque28/12/11 18:25

    Seus comentários acima que o digam...

    ResponderExcluir
  101. A maior parte dos acidentes onde trabalho está relacionado a velocidade incompatível. E isto provado documentalmente. Estas historinhas de que passaram 3 km/h e foram multados não passam de estórias. Ninguém é multado se não passar (pelo menos) 7 km/h do limite de velocidade. Ter uma placa avisando que a lei só deve ser respeitada naquele local é uma grande idiotice, típico de países terceiromundistas. Em alguns países como a Alemanha usam veículos discretos para fiscalizar velocidade...graças e este monte de "bração" que vemos por aí (e por aqui) é que somos um dos grandes campeões mundiais de mortes no trânsito. Quem anda de forma decente, dificilmente é multado. Não se enganem, a grande maioria das infrações são sempre pras mesmas figurinhas carimbadas.

    ResponderExcluir
  102. eu me sinto roubado é no preço da gasolina ou dos veículos novos. Pra quem anda de forma civilizada, multa é raridade.

    ResponderExcluir
  103. ao Matheus,

    Nosso país não tem critério algum para definir a velocidade máxima das vias. Então, a sinalização faz-se indispensável.

    ResponderExcluir
  104. Matheus

    O Bob citou que é usual nos países civilizados indicar que há fiscalização. E que se traga pra cá a fiscalização "volante" com viaturas policiais rodando nas rodovias e ruas e punindo TODOS os tipos de infração, como citado pelo Roberto Agresti: http://bestcars.uol.com.br/colunas3/p355-ao-vigilante-carlos.htm

    Acreditar que só radar basta, que nossos limites de velociade são ótimos e que não há má intenção de autoridades e empresários é muita ingenuidade.

    ResponderExcluir
  105. E os 2 ou 3 km/h acima do limite é após a correção dos 7 km/h ou 7% sim, mas ainda muito abaixo do que seria razoável em retas de pistas com bom asfalto e sem movimento.

    ResponderExcluir
  106. Quanto ao limite de velocidade, defendo que deve ser 110 em todas as rodovias, 80 é muito baixo.

    ResponderExcluir
  107. Bob,
    Moro em Goiânia-Go e volta meia vou para cidades interioranas vias nossas GO`s. A questão é, volta e meia tem uma placa com uma velocidade diferente na via. Por quanto tempo ou kms devo ficar na velocidade da placa antes de retornar para a velocidade maxima permitida, de 110 km/h? Isso que me mata nessa questão dos radares, é quase um jogo. Adivinhe o que estou pensando e me dê dois exemplos....
    Eu sinceramente nao sei até onde vale uma placa.... vale somente onde ela esta fincada? quantos metros pra frente e pra trás dela?

    O mesmo vale com placas de proibido para/estacionar. Nao sei aonde começa e onde termina o limite...

    Se puder responder, seria de grande ajuda.
    Um abraço
    Daniel

    ResponderExcluir
  108. Pedro de Albuquerque30/12/11 23:55

    Passou da hora de termos limite de 130 km/h como na Argentina, nem que seja em apenas uma faixa como lá. Algumas autoestradas admitem isso, assim seria possível uma velocidade de cruzeiro de 140 km/h de velocímetro sem multas, sem sustos, viajem tranquila, rápida e segura.

    Aos que desejam nivelamento por baixo, favor ficarem à direita da via.

    ResponderExcluir
  109. Aqui na minha cidade (SJCampos) a maioria é a favor. Gostam de levar na bunda, dão graças a Deus e querem que os outros façam o mesmo. Caipiras!

    João Paulo

    ResponderExcluir
  110. Daniel Caetano Junior,

    a placa até 60 km/h "vale" até 1km após ela e acima desta velocidade 2km.
    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  111. Concordo plenamente com o diegoribeiro do dia 26/12/11 as 12h32.

    ResponderExcluir
  112. Ora, ora... o otário fracassado resolveu sair do esgoto e mostrar a cara por aqui. Mas isso é ótimo, o pessoal aqui estava precisando rir um pouco mais mesmo.

    Falando nisso... a casa caiu... mas foi pro governo...

    http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI281285-10142,00.html

    Chupa, comunista ladrão e recalcado. Chupa com gosto.

    ResponderExcluir
  113. Que se dane, dobro a placa e subo a EPTG a 299km/h, os radares podem tirar foto da minha bunda.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...